Seguidores

22 de ago de 2010

Eu sei que vou te amar - Vinícius de Moraes


QUANTA SAUDADE SINTO DE VOCÊ...



Foi logo após a Contação de Histórias.

Perguntei : - De todos os que estão neste momento, crianças grandes e pequenas, alguém já perdeu ou precisou se separar para sempre de outro alguém de quem você gostava muito e que também gostava muito de você?-Braços longos e curtos se levantaram.

Continuei: - E... Alguém se lembra de ter sentido uma dor tão forte que parecia que não ia passar nunca? Sim. (um "sim" tão tímido que mais parecia um sussurro).

- E alguém teve vontade de colocar uma plaquinha NÃO PERTURBE e se trancar no quarto deitar-se, cobrir a cabeça e só se levantar novamente quando pudesse atender ao telefone e ouvir 'aquela voz' do outro lado da linha? Ou melhor ainda: abrir a porta e ver a pessoa alí de braços abertos esperando o seu melhor e mais longo abraço, o beijo mais demorado? Sorrir novamente com aquela pessoa tão querida? Andar de mãos dadas, deitar na grama e ficar procurando desenho nas nuvens ou, andar calmamente sentindo a chuva cair?

- Sim. (um "sim" mais alegrecomo se por um instante aquele sonho pudesse ser verdade).

-Mesmo sabendo que isso seria impossível? ... -Foi exatamente assim que eu me senti quando o meu PAI aos 81 anos, parou de respirar. Alguns pequenos trechos do O Pequeno Príncipe:


- Tú compreendes. É muito longe. Eu não posso carregar este corpo. É muito pesado. Mas será como uma velha concha abandonada. Não há nada de triste numa velha concha...

- Meu caro, ainda quero escutar o teu riso...

- À noite tu olharas as estrelas, aquela que eu moro é muito pequena para que eu possa te mostrar. Minha estrela será para ti qualquer uma das estrelas. Assim, gostarás de olhar todas elas... As pessoas veem as estrelas de maneiras diferentes, para alguns, são guias, para outros, apenas pequenas luzes, também podem ser problemas ou, ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém nunca as teve... Quando olhares para o céu à noite, eu estarei habitando uma delas, e de lá estarei rindo; entãoserá, para ti, como se todas as estrelas rissem! Dessa forma, tu, e somente tu, terás estrelas que sabem rir!

Muitos braços se levantaram, muitas mãos foram aos olhos... Os ouvidos ficaram mais atentos e os traços dos rostos mais duros. Eu também. Há bem pouco tempo perdi o meu PAI, esta camisa é dele e, se alguém reparou, essa flhor preta no bolso é em sinal de luto. Ele foi um grande homem. Teve 13 filhos, 26 netos, 8 bisnetos. No dia em que completou 81 anos, terminou de apagar as 81 velinhas, mais a de número 8 e a de número 1 e disse que aquele seria o seu último aniversário E FOI.

Lágrimas que teimavam em rolar, mãos pequenas que desajeitadamente apertavam os olhos na tentativa de colocar as lágrimas teimosas pra dentro novamente, faces que se apoivam, faces que procuravam apoio. E teve aquela aquela face de mãe que talvez para esconder suas lágrimas amargas, abraçou o filho com um amor tão grande que parecia estar guardado dentro dela por tanto tempo que, me senti arrepiar. Era a emoção de estar abraçando aquela pessoa tão amada da qual estava separada.

Pra terminar conseguimos "murmurar" aquela linda música do Vinícius de Moraes; "EU SEI QUE VOU VOU TE AMAR" e... ainda nos aplaudimos no final. Crianças grandes agarradas em mãos de crianças pequenas vieram me dizer que, a partir daquela noite, passariam a olhar as estrelas com um olhar diferente. Rsrsrs, eu me lembrei de Regina Machado que menciona em seu levro ACORDAIS, que precisamos aprender a olhar a paisagem com o olho virado ,as, a frase que me marcou mesmo foi quando O PEQUENO PRÍNCIPE disse: "Os olhos são cegos. O essencial, só se vê com o coração". Uma senhora me disse que, quem sabe se conseguisse prestar bastante atenção, conseguiria ouvir os sorrisos delas. FOI BOM.



Eu sei que vou te amar

Eu sei que vou te amar
Por toda minha vida eu vou te amar
A cada despedida eu vou te amar
Deseperadamente
Eu sei que vou te amar

E cada verso meu
Será prá te dizer
Que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida

Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua
Eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que essa tua ausência me causou

Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
Na espera de viver ao lado teu
Por toda minha vida

Um comentário:

Gisele Kessia disse...

Lindo Pipoca!Toca o coração te acompanho a um tempo pelo Orkut, mudei de São Paulo para Aracaju e percebo que por aqui deixam a Arte de Contar Histórias de Lado, então estou querendo trazer o resgate da contação de história.

Beijos e Dues te abençoe sempre.