Seguidores

9 de dez de 2010

Saraiva Mega Store Shopping Ibirapuera

05/12/2010

A cena do Presépio de Natal foi montada com a ajuda das crianças que, vez ou outra recebiam um sopro dos pais. As crianças não se esqueceram nem mesmo dos pastores e dos camponeses. Também nesta apresentação expliquei que os pastores voltavam dos campos com os seus rebanhos quando viram a estrela que guiava os três reis magos brilhando, parando bem encima do estábulo... Os camponeses voltavam pra suas casas depois de um dia de trabalho, plantando, colhendo, cuidando das hortas e dos pomares.


Perguntei ao público quem se lembrava o que os três reis magos levavam de presente para o menino JESUS, prontamente responderam: magias; bom humor; alegria; ouro; água; roupas; cobertores; esperança; brinquedos; incenso; comida; leite; perfume; vídeo game; etc.

Os funcionários se revezavam ali no espaço infantil na medida do possível para ver o Presépio de Natal feito com bucha vegetal e também ouvir a história do nascimento do menino Jesus.


MUVUCA NA MALA é o momento em que as crianças (pais também) podem vasculhar a mala, conhecer os objetos utilizados durante a contação de história, aproveitam para perguntar do que é feito, dão sugestões, fotografam, se enrolam nos tecidos, experimentam os sons dos assobios, vêem através da lupa, descobrem que o ovo é na verdade um sabonete, que os sentimentos tem cores, etc. É muito bom.







Bom, não me canso de dizer que pra mim, foi extremamente gratificante e prazeroso fazer o trabalho. Um tema tão adorável, gostoso de trabalhar, como tantos outros...

Saraiva Mega Store Shopping Jardim Sul


Em 05/12/2010

Depois de andar nos corredores aos arredores da loja convidando as crianças para o evento, dei início a contação de história: Um Natal que não termina - Ana Maria Machado.

Uma aula sobre humanidade e cidadania: Até quando crianças continuarão sofrendo com guerra e miséria? Embalada por uma crítica atual e com humor na medida certa, a história leva as crianças à descoberta de diversas possibilidades de sentido e a valiosas reflexões sobre o verdadeiro significado do Natal.

O público estava atencioso e participativo; com crianças maiores que se dirigiram pra loja sozinhas ou acompanhadas de amiguinhos e também crianças bem pequenas, o que exigia maior atenção dos pais que se desdobravam entre a atenção com as os filhos e, com a história é claro, já que ao serem convidados e usarem o argumento: MAS ELE (A) É TÃO PEQUENO (A)!!! Eu digo: Sim porém, você pode ir recontando a história pra Ele(a) no decorrer do período!!!A cena do Presépio de Natal foi montada com a ajuda das crianças que, vez ou outra recebiam um sopro dos pais, rsrs.
A VITÓRIA uma garota maior que apaparentemente estava sozinha, não se esqueceu nem mesmo dos pastores e dos camponeses.
Expliquei que os pastores voltavam dos campos com os seus rebanhos quando viram a estrela que guiava os três reis magos brilhando, parando bem encima do estábulo...
Os camponeses voltavam pra suas casas depois de um dia de trabalho, plantando, cuidando das hortas e dos pomares.
Os funcionários que se revezavam ali no espaço infantil na medida do possível para ver o Presépio de Natal feito a partir de bucha vegetal e também ouvir a história do nascimento do menino Jesus.
Infelizmente, teve uma queda de energia no shopping e, eu não tive tempo de perguntar mas, parece que gostaram do pouco que cada um teve a oportunidade de ver da apresentação.

Bom, pra mim, foi extremamente gratificante e prazeroso fazer o trabalho.

6 de dez de 2010

Saraiva Mega Store Shopping Open Mall

Em 04/12/2010

Depois de andar nos arredores da loja convidando as crianças para o evento, finalmente (para quem já estava aguardando desde que cheguei) teve início a contação de história: Um Natal que não termina - Ana Maria Machado.

Uma aula sobre humanidade e cidadania. Até quando crianças continuarão sofrendo com guerra e miséria? Embalada por uma crítica atual e com humor na medida certa, a história leva as crianças à descoberta de diversas possibilidades de sentido e a valiosas reflexões sobre o verdadeiro significado do Natal.
O público estava uma gracinha, atencioso e participativo; com crianças bem pequenas o que exigia maior atenção dos pais que se desdobravam entre a atenção com as os filhos e, com a história é claro, já que ao serem convidados e usarem o argumento: MAS ELE (A) É TÃO PEQUENO (A)!!! Eu digo: Sim porém, você pode ir recontando a história pra Ele(a) no decorrer do período!!!

A DENISE, ADRIANA e demais funcionários que se revezavam alí no espaço infantil na medida do possível (rsrs) disseram ter gostado bastante do pouco que tiveram a oportunidade de ver da apresentação.

Bom, pra mim, foi extremamente gratificante eprazeiroso fazer o trabalho.
Um tema tão adorável, gostoso de trabalhar, como tantos outros...


Aproveito para me despedir desejando a todos... público e funcionários: BOAS FESTAS!!!


29 de out de 2010

Simplicidade e Simpatia






"Um dia nublado"

Ahhh! Desde o início do mês de outubro quando soube das apresentaçõs de uma escritora/contadora de história famoséééééérrima, tive um enorme desejo de ir vê-la.

Enfim, dia 24 tive a feliz oportunidade... EXPECTATIVA!!!
ELA chegou. Ainda um pouco antes de começar a apresentação, quando um menino de +ou- 5 anos mostrou todo entuasmado que o bebê alí perto cambalenate, aprendendo a andar era o seu irmãozinho, ela disse: - Ah é?! Então não deixa ele vir pra cá (perto dos acessórios dela) não tá bom... Vixe!

Iniciou a apresentação FORMOSOS MONSTROS.
Clicava e as lendas iam aparecendo num telão atrás dela. Logo, as crianças começaram a chamar os pais a irem embora. E outra lenda, e mais outra... As crianças agora estavam aflitas, algumas choravam querendo ir embora, os pais também não queriam ficar (afinal TV viam em casa)mas, em cochichos tentavam explicar aos filhos que seria feio sair. Uma menina de 3 anos, falante e risonha que só (eu particularmente, pouco entendia do que ela falava), alegre falava e sorria (a única), então a contadora olhou bem pra garotinha, colocou as mãos pra trás e disse: - Agora "cala a boquinha". Fecha a boquinha e fica com ela bem fechadinha (fez sinal de zíper) senão, você não vai entender a história.
UI!!! Foi a gota d'água! Os pais começaram a levantar e sair com os filhos. Outros pais chegavam com seus filhos e, felizes ocupavam os lugares.
Quando terminou a apresentação uma funcionária do local ficou "guardando o espaço" da contadora até que ela terminasse de recolher seus acessórios e se retirasse rapidamente.
Pra mim que trabalhei durante todo esse mês TARZAN - O filho do alfaiate deixando uma mensagem subliminar de que "nem tudo o que parece é" ficou crivada a lição. Valeu muito a pena ter ido, ter viso, ter ouvido... Até porque, se alguém me contasse eu não acreditaria.
Isso sim, é um dia nublado na vida de uma contadora!



26 de out de 2010

Shopping Center Norte em 23 de outubro de 2010

Shopping Center Norte

Em minha última apresentação na rede de Lojas Saraiva NESTE mês de outubro, novamentente circulei pela loja distribuindo convites e sorrisos aos clientes. Fazendo um "leve barulho" abordando pais e filhos e orientando-os para que fossem se acomodando alí no espaço infantil onde dalí há poucos minutos aconteceria uma apresentação de Contação de Histórias para pequenos e grandes. Público reunido, comecei com: "Tarzan - O filho do alfaiate / Noel Rosa" Em TARZAN-O filho do alfaiate: Tenho procurado passar a impressão de que nem tudo o que parece é.

A participação foi geral!!! Pequenos e grandes...

Aqui o Guilherme, o papai e a mamãe.
O Guilherme pretende voltar ao Center Norte em minha próxima apresentação, rsrs.
Fico felizzz!!!

ATENÇÃO para a Awdrey
Um pouco mais de ATENÇÃO!!!
E... Começamos "As Pombas"
As pombas trouxeram à lembrança de pais e filhos músicas antigas e outras nem tanto.
Eu comecei com algumas cnções lembradas na apresentação anterior: Groselhas vitaminadas MILANI; Café SELETO; Casas Pernambucanas;...

E outras foram surgindo. Eu, em pose do meu microfone de papelão, fui cantarolando trexos de músicas bem antigas com músicas infantis atuais MENUDOS; KID ABELHA; CAZUZA; RAUL SEIXAS;CINCO PATINHOS-XUXA; AQUARELA; NARIZINHO; SÍTIO DO PICA-PAU-AMARELO;...

Alguns, riam abertamente enquanto outros, levam a mão à testa em sinal de "desespero" olhavam aflitos para o relógio como a pedir SOCORRO. Outros ainda, tapavam os ouvidos, rsrs, e... outros tentavam esconder o riso com as mãos ou, viravam o rosto pra "rir melhor"

A cada sonho uma música
A cada música, novas gargalhadas
E a pergunta que não quer calar:
-Você conhece essa música mãe? pai?

Como foi bom ter trabalhado esses dois temas... Extremamente gratificante.
Pesquisei. Adquiri equipamentos, acessórios que já se faziam necessários mas, que agora tornaram-se indispensáveis. Instrumentos de percussão, desses que a gente faz em casa com sucata e criatividade. Fiz questão de mostrar e lembrar aos pais como é fácil e gostoso isso de "construir brinquedos" com as nossas próprias mãos... A brincadeira fica mais gostosa.

Shopping IBIRAPUERA em 17/10/2010

Shopping IBIRAPUERA

Contação dos livros da Coleção Forrobodó Editora Formato
A música representa um grande estímulo à criança, aguça a sua sensibilidade, a sua criatividade e desenvolve suas emoções.
A coleção Forrobodó convida artistas visuais contemporâneos, com um pé na música, para interpretar graficamente a letra/poema de uma composição.


ISABEL
...estava ansiosa pelo início da apresentação. Teve participação constante durante todo o tempo que permaneceu conosco.
Também tivemos a presença de famílias inteiras com mães, avós, filhos que ficaram e participaram e contribuíram com suas recordações. Tudo muito válido e extremamente gratificante.
O pai com os braços cruzados, observava os filhos meio de longe e, sempre os chamava para irem embora (tinham um compromisso), as três crianças, fingiam que estavam sozinhas, não era com eles. Achei engraçado.

Os sonhos...
A apresentação dos livros...
AS POMBAS
Novamente, como na apresentação anterior, falamos dos nossos amores, amigos, professores... Tudo lembrado com músicas (muita música) que marcaram e certamente marcarão as nossas vidas.

AS POMBAS... Os sonhos que no momento exato em que são sonhados nos parece VITAIS, alguns acabam ficando pelo caminho e não voltam mais...
E deixam de ser importantes...

"Tarzan - O filho do alfaiate / Noel Rosa" Em TARZAN-O filho do alfaiate: Tenho procurado passar a impressão de que nem tudo o que parece é.