Seguidores

13 de jun de 2018

Sinopse

Esta é a história da amizade de Lino, um porquinho, e Lua, uma coelhinha branca. Eles vivem juntos em uma loja de brinquedos. Um dia, Lua desaparece e Lino, ao buscar por sua melhor amiga por toda parte, acaba tendo uma grande surpresa.

11 de jun de 2018

O Brasil que veio da África


A saga de um jovem rei africano e seu antigo escravo, agora na condição de cativos no Brasil. Romance juvenil com referências históricas, tem como tema principal o protagonismo negro na luta e conquista da liberdade, em ambientes que vão de senzalas a quilombos, de vilas a fazendas. Histórias de amor, solidariedade, amizade, ambição se misturam em uma trama na qual as heranças culturais africanas são mostradas em seu nascedouro.
Kalinda, a princesa que perdeu os cabelos e outras histórias 
“Os contos populares africanos me devolvem as raízes do mundo. E trazem (imaginariamente) as vozes ancestrais para sussurrarem nos meus ouvidos.” Neste surpreendente livro, o renomado autor e ilustrador Celso Sisto traz diversos contos do continente africano, por meio dos quais o leitor poderá explorar a riqueza da cultura dos diferentes povos que lá vivem.


1 de jun de 2018

a-mariposa-azul-lenda-oriental-crianças A
A Mariposa Azul
Lenda Japonesa 

Conta uma lenda japonesa que há muitos anos, um homem ficou viúvo e ficou responsável pelas suas duas filhas. As duas meninas eram muito curiosas, inteligentes e sempre tinham ânsia em aprender. Por isso, perguntavam muito ao seu pai. Às vezes, o seu pai poderia responder-lhes sabiamente, mas outras vezes não sabia o que responder. 
Vendo a inquietação das duas meninas, ele decidiu enviá-las de férias para conviver e aprender com um sábio, o qual vivia no alto de uma colina. O sábio era capaz de responder a todas as perguntas que as pequenas lhe faziam sem sequer duvidar. 
No entanto, as duas irmãs decidiram fazer-lhe uma pergunta para ‘pegar’ o sábio, para medir a sua sabedoria. Buscaram uma pergunta que este não fosse capaz de responder. 
- Como podemos enganar ao sábio? Que pergunta poderíamos fazer-lhe que não seja capaz de responder? – perguntou a irmã mais nova para a mais velha. 
- Espere aqui, logo eu te mostrarei – disse a irmã mais velha. 
A irmã mais velha saiu ao monte e regressou por volta de uma hora. Tinha o seu avental fechado em formato de um saco escondendo algo. 
- O que você tem aí? Perguntou a irmã pequena. 
A irmã mais velha meteu sua mão no avental e lhe mostrou para a irmã uma linda mariposa azul. 
- Que linda! O que vai fazer com ela? 
- Já sei o que vamos perguntar. Vamos a busca dele e eu esconderei essa mariposa na minha mão. Então eu perguntarei ao sábio se a mariposa que está em minha mão está viva ou morta. Se ele responder que ela está viva, eu apertarei minha mão e a matarei. Se ele responder que ela está morta eu a deixarei livre. Portanto, responda o que for a sua resposta será sempre errada. 
Aceitando a proposta da irmã mais velha, ambas as crianças foram em busca do sábio. 
- Sábio – disse a mais velha – Você poderia dizer se a mariposa que está em minhas mãos está viva ou morta? 
Ao que o sábio com um sorriso sarcástico respondeu: ‘Depende de você. Ela está em suas mãos’.

FIM

23 de dez de 2014

13 de nov de 2014

Voltando... Cheia de NOVIDADES!!!

Quando em ocasião do falecimento de MÃEZINHA eu já estava com problemas nas cordas vocais que também tem fundo emocional. Lá se vai mais de um ano e eu ainda em tratamento, ESTOU DE VOLTA AO BLOG. Muita coisa aconteceu nesse período, coisas boas e coisas não tão boas.
Ainda no dia do sepultamento de minha mãe, dia 20 de agosto de 2013, tivemos uma apresentação do espetáculo QUE VIDA VOCÊ PODERIA TER? Era o nosso trabalho de conclusão de módulo. Saí do cemitério direto para o teatro. Eu e mais duas colegas interpretamos uma cena da peça Suburbano Coração de Plínio Marcos. Foi difícil, mas foi.


Eu era TRUDES


Uma moça FOGOSA, que usava seu leque quase que o tempo todo, rsrs.




No módulo seguinte, ainda no curso de teatro, tivemos que escolher uma peça que seria o nosso trabalho final. Cada um da levou algumas sugestões e, por fim, venceu a maioria com a peça O BALCÃO-Jean Genet. Mesmo após o período de recesso que tivemos, eu ainda estava triste demais para interpretar qualquer coisa, então, pedi ao professor que me de deixasse ser um lustre, uma pedra, rsrs... E ele deixou.

Interpretei A MUSA, uma estátua.  


Tive problemas no módulo seguinte... Módulo VIII Reprovada!!! Em agosto comecei um curso de Corte e Costura para futuramente enveredar pelos caminhos de figurinos e adereços e afins. Em setembro retomei o curso de teatro para o último módulo: RÁDIO, DUBLAGEM, TV E CINEMA. 

No dia 10/10 (2014) Dia em que seria o aniversário da minha mãe, enquanto eu estava nos corredores do Senac decorando um texto para a aula de TV meu cunhado liga: MINHA IRMÃ NOEMIA, TEVE UM INFARTO!!! Saí correndo, voando... Até ia me esquecendo de calçar as sandálias... 


Graças a DEUS, depois de quase um mês internada no INCOR-SP ...


Entre um carinho


e outro...


e mais outro...


(minhas irmãs Isabel e Noemia)
Agora ela etá bem. Graças a DEUS.

E enfim, no dia 29 de setembro tive o imenso prazer de postar em meu face a seguinte mensagem:

"Hoje dia 29/10/2014 UM DIA ESPECIAL PRA MIM
Finalmente, graças a DEUS, terminei o curso de Arte Dramática.
Afff, já não era sem tempo, rsrs.
Se foi difícil???
Não, não foi "SÓ" difícil, em alguns momentos parecia ser IMPOSSÍVEL.
Em outros momentos, ERA IMPOSSÍVEL MESMO!!!
Dificuldades a parte, agradeço a DEUS por mais essa etapa vencida, agradeço a todos os amigos/colegas de todas as turmas das quais fiz parte. Cada um a seu modo, todos foram importantes. Agradeço a quem acreditou no meu sonho, a quem torceu e orou por mim... 
Foi por causa de todos vocês que insisti, persisti, e VENCI!!!
Muito obrigada, de coração, a TODOS".

UHUUUU!!!




26 de ago de 2013

LUTO

 
Esta é minha mãe.
 
 
Esteve dodói por um período, passou por grande sofrimento.
Enfim, descansou neste dia 19 de agosto de 2013.
Restou-me agora a saudade, além é claro, da certeza de que
tudo tem o seu tempo de ser, acontecer...
Como diria Rúben Alves:
Ela estava leve demais para as coisas daqui e então,
foi para um lugar onde tudo é leve.
 
Estou triste. Muito triste.
Coração pesado. Tão pesado que não suporto...
Mas sei que um dia, também ficarei leve e daí a gente se encontra.