Seguidores

22 de mai de 2010

KIARA TERRA

Dia 23/05/2010 estive na praça Víctor Civitta para assistir a uma apresentação da SOBERANA Kikita. O ANDRÉ estava lá com um primo. A história, como sempre LINNNNNDA DE VIVER! A participação do público infantil e adulto... é o mááááximo.


A KIARA, conta experiências que traz guardadas num "arcabouço" riquíssimo! Eu adorei quando ela disse que... a BAHIA é tão longe pra uma criança de três anos ir de carro que... Passa a impressão de que não existe, rsrs!




Num determinado momento, eis que me cai uma big-folha de seringueira na cabeça! Levei um sustão, rsrs, sobrevivi! O legal é que... quando dou fé, estava eu frente a bilheteria da Estação de trem, lutando para segurar a folha, abrir a bolsa, pegar o dindim para comprar os bilhetes... Ops!!! Por que estou com essa folha na mão??? Ah, já que trouxe até aqui, vou levá-la pra casa. O pessoal que passava por mim não entendia nada. Também não entendi mas, a gente não precisa entender tudo né?!

14 de mai de 2010

Bastidores...




Saraiva em 08 de maio de 2010 - Lendas Japonesas

A Chaleira da Sorte

A Chaleira da Sorte - No folclore japonês, o guaxinim é um tipo de cão mágico, que possui força física bem acima do normal e grandes poderes sobrenaturais e de transformação. Animais com o poder de transformação, tanto para propósitos maléficos como benéficos. Neste caso, o guaxinim chamado Bunduku, assumiu a forma de uma Chaleira Mágica para fins benéficos e, numa demonstração de gratidão, trabalhou incansavelmente para um casal que, mesmo sendo muito pobres e não tendo alimento nem mesmo para o próprio sustento, se propôs a cuidar dele sem sacrificá-lo com fogo, polimentos ou qualquer atitude que lhe pudesse ser dolorosa. O casal, tendo provisões para uma vida tranquila, realizou o desejo de Bunduku, que era terminar os seus dias em um templo. Já trabalhando com o método de HISTÓRIA ABERTA, o público teve a oportunidade de acrescentar detalhes à história, bem como características dos personagens... Experimentamos sensações e sentimentos além de, concluir a história com as impressões de cada participante.



O Pássaro Encantado ou “O grou” (Tsuru) Narra a história de um mágico e talentoso pássaro branco que caiu numa armadilha de algum caçador malvado. No inverno, numa floresta gelada teria morrido não fosse a solidariedade de um lenhador que, de volta a casa, ouviu o lamento do Pássaro e o salvou, livrando-o da armadilha e devolvendo-lhe a liberdade. O Pássaro Magico então, voltou em forma de uma linda menina, prestativa e talentosa para assim, agradecer à bondade do solitário casal de velhinhos...
Lendas Japonesas- Ed. ROCCO - O livro é maravilhoso, as histórias são encantadoras e as ilustrações lindas. À cada apresentação, contei ao público histórias diferentes. Em O GROU (mais conhecido como Tsuru) o pássaro depois de ser salvo de uma armadilha por um lenhador, em agradecimento, voltou na forma de uma gentil menina que, se sacrificava para ajudar o casal a sobreviver ao frio, à fome e à solidão.

Já trabalhando com o método de HISTÓRIA ABERTA, o público teve a oportunidade de acrescentar detalhes à história, bem como elementos na paisagem, cores... Experimentamos sensações e sentimentos além de, concluir a história com as impressões de cada participante.

Pesquisando a lenda O GROU aprendi que o grou/tsuru tem o dom de realizar os nossos desejos, pois se dobrarmos mil grous, depositando em cada um a nossa fé e esperança, o nosso desejo será realizado. Dobram-se grous para enviar a pessoas doentes expressando o desejo do seu restabelecimento. Esta prática está relacionada com uma lenda. Em toda a Ásia o seu significado é: eterna juventude; felicidade; longevidade. Muitas pessoas conhecem a história de Sadako, a menina que estava em Hiroshima quando a primeira bomba atómica foi lançada sobre a população. A melhor amiga de Sadako, Chizuko levou-lhe uns papéis de origami e contou-lhe a velha lenda japonesa, a dos 1000 tsurus, e que se ela os dobrasse teria o seu desejo de cura concedido (efeitos da bomba atômica). À cada grou que Sadako dobrava era como uma prece e dizia-lhe: “Vou escrever Paz nas tuas asas e vais voar à volta do Mundo”. E assim a sua prece era não só pela cura e pela felicidade, mas também pela Paz.
Pais e filhos...
Mudei o rumo da oficina, direcionando para o DIA DAS MÃES que seria no dia seguinte... Então fizemos "marcadores de páginas" em formato de coração, com fita bordô e uma folha na outra extremidade. Enfeitamos o coração com pedacinhos de E.V.A. O resultado ficou bem legal!!!




Não faltaram corações cheios de carinho...


Para a avó paterna, materna, para a mãe, a tia, a professora...

Algumas mães, como esta por exemplo, foram "resgatadas" de outros setores da loja, juntamente com os filhos. Valeu a pena!!!


Aqui, a Nathália com a irmãzinha Nina, as duas brincaram, se divertiram um tanto.

Ahhh!!! I-NES-QUE-CÍ-VEL Ana Júlia!!! Muito simpática, rsrs, fazia questão de me dizer sempre "Adorei te conhecer"!!! Despediu-se de mim (duas vezes!!!) com abraços e beijinhos carinhosos. Se alguém, porventura, souber de algo mais gratificante que o carinho sincero, desinteressado, gratuíto de uma criança tããão adorável... Me diga. ANA JÚLIA vou repetir um pouco das suas palavras, rsrs: FOI UM IMENSO PRAZER CONHECÊ-LA!!! Muito obrigada pela tarde maravilhosa que passamos juntas.

Esta avó já estava lá sentadinha quando chegamos e, permaneceu lá o tempo todo. Com os olhos fixos, prestando atenção em cada um dos meus movimentos, curtindo cada momento. Consegui levá-la ao cenário onde se passava a história e ela se deliciou, bebeu a história... Se embriagou com as palavras. Era delicioso quando o meu olhar encontrava com os olhos dela que brilhavam, fascinada que estava com "O Pássaro Encantado".