Seguidores

30 de abr de 2010

Arco-Íris BASTIDORES

Esse foi o dia em que confeccionamos "colares com canutilhos de papel".
Eu estava ainda "vestindo" bonequinhas para o MEU colar... Encontraram as bonequinhas e se encantaram, rsrs...

THAÍS e ISABELLE

ISABELA e LÍGIA

THALITA. A minha "ajudante oficial" (e indispensável) na turma da tarde. Ela está asssim EXIBIDA porque agora tem um colar novinho e... feito por ela mesma!!! É isso aí meninas!!! Vocês são capazes.

"A Costureira das Fadas" Monteiro Lobato - Reinações de Narizinho

Aqui, a turma da manhã...


A "Conversa após a História"

Agora, a turma da tarde... Primeiro os "menores".


Depois os "maiores".
Inicialmente, a BRUNA estava superhiperultramegaPRESA à História na versão do autor, Monteiro Lobato. Mas quando de uma maneira bem sutil eu disse que aquela era a NOSSA VERSÃO da História e que poderíamos DESCONSTRUIR e CONSTRUIR novamente à NOSSA MANEIRA... Ela e os outros ficaram "boquiabertos" com a nova possibilidade apresentada.
TODOS participaram e, me pareceram satisfeitos em poder eliminar e acrescentar detalhes. Foi uma experiência bem bacana!

Legal que quando o meu olhar se encontrava com o da BRUNA, eu via que ela estava "de verdade" no Reino das Águas Claras presenciando a História em tempo real! Rsrsrs. Tão absorta que estava... SE ESQUECIA DE PISCAR!!!

Na tão esperada hora dO BAILE, a THAÍS se agarrou ao microfone se mostrando uma excelente cantora.
A LÍVIA a LARISSA, enfim todos também curtiram bastante.
Entrevista: O microfone é "de mentirinha" mas, as crianças esperavam que a repórter (EU) desse a oportunidade de falar. Assim, cada um a seu tempo, puderam se expressar.




Ainda depois da conversa, colocamos novamos novamente a música NARIZINHO-Ivete Sangalo. Fizeram uma "muvuca na mala", se enfeitaram... A festa seguiu com muita badalação.



Pose pra um CLICK e... Só bem depois disso a festa acabou na Brinquedoteca mas, com certeza cada coraçãozinho continuou "batendo" ao som e rítmo da História contada. Saímos em festa!!!

25 de abr de 2010

E como qualquer coisa pouca é bobagem...

TEM MAIS: Na segunda-feira, 19/04/2010, tive uma experiência super nova. FANTÁSTICA! Trata-se de uma conquista pessoal, mais um obstáculo vencido. Seria muito natural não fosse as dificuldades pelas quais tenho passado. Posso dizer que, matei uma matilha de leões tamanha foi a minha sensação de superação, de realização. Fiz um passeio MA-RA-VI-LHO-SO!!! Passei uma tarde MÁGICA! Não seria exagero meu dizer que, me senti com se fosse Alice no País das Maravilhas!!! Curti cada momento com muita intensidade, como tudo o que faço. Pode ser que nunca mais eu me sinta tão bem como no dia 19/04/2010 mas com toda certeza, as lembranças ficarão pra sempre guardadas em um lugar muito especial em minha coleção de lembranças.

10 de abr de 2010

"A Costureira das Fadas"

Reinações de NARIZINHO-Monteiro Lobato
Encontrei o texto completo no blog:
http://brincandonaescola.blogspot.com/2007/11/reinaes-de-narizinho.html
Quanto ao resumo... leio, releio, trileio e, pocuro me lembrar dos fatos mais importantes (sob o meu ponto de vista é claro), enfatizo, acrescento detalhes, a costureira estudou em Paris então, coloco a coleção outono-inverno nas passarelas, rsrs, Gisele Büncher, Naommy Camppebel, e outros nomes que nem sei escrever, rsrs...
A COSTUREIRA DAS FADAS
Eu começo a história contando que todos os dias, após o almoço Narizinho pega um pedaço de pão e vai ao riacho jogar migalhas aos peixes... Certo dia, deitou-se na grama às margens do riacho a fim de olhar os desenhos que as nuvens formavam. Dormiu! Despertou sentindo cócegas no nariz, era o Sr. Besouro com sua bengala e um peixe que usava uma capa vermelha e coroa na cabeça. Os dois conversavam animadamente enquanto o Sr. Besouro cutuva o nariz de Narizinho tentando descobrir que tipo de "terra" era aquela...
Narizinho abriu um olho, depois o outro... Não disse nada pois não queria assustar os bichinhos falantes mas, sentindo cócegas no nariz acabou por espirrar, jogando longe os dois amigos.
Refeitos do susto, se apresentaram e o Peixe Escamado Príncipe-Rei do Reino das Águas Claras convidou a menina para conhecer o seu reino, no fundo do riacho. Lá, ofereceu à Narizinho, sua ilustre convidada, um jantar maravilhoso.
Depois do jantar o príncipe levou Narizinho à casa da melhor costureira do reino. Era uma aranha de Paris, que sabia fazer vestidos lindos, lindos até não poder mais! Ela mesma tecia a fazenda, ela mesma inventava as modas.
– Dona Aranha, disse o príncipe, quero que faça para esta ilustre dama o vestido mais bonito do mundo. Vou dar uma grande festa em sua honra e quero vê-la deslumbrar a corte.Disse e retirou-se.
Dona Aranha tomou da fita métrica e, ajudada por seis aranhinhas muito espertas, principiou a tomar as medidas. Depois teceu depressa, depressa, uma fazenda cor-de-rosa com estrelinhas douradas, a coisa mais linda que se possa imaginar. Teceu também peças de fitas e peças de renda e peças de entremeios – até carretéis de linha de seda fabricou.
– Que beleza! – ia exclamando a, menina, cada vez mais admirada dos prodígios da costureira. – Conheço muitas aranhas em casa de vovó, mas todas só sabem fazer teias de pegar moscas; nenhuma é capaz de fazer nem um paninho de avental...
– É que tenho mil anos de idade – explicou dona Aranha – e sou a costureira mais velha do mundo. Aprendi a fazer todas as coisas. Já trabalhei durante muito tempo no reino das fadas; fui quem fez o vestido de baile de Cinderela e quase todos os vestidos de casamento de quase todas as meninas que se casaram com príncipes encantados.
– E para Branca de Neve, também costurou?
– Como não? Pois foi justamente quando eu estava tecendo o véu de noiva de Branca que fiquei aleijada. A tesoura caiu-me sobre o pé esquerdo, rachando o osso aqui neste lugar. Fui tratada pelo doutor Caramujo, que é um médico muito bom. Sarei, embora ficasse manca pelo resto da vida.
Na "minha história" Narizinho não leva Emília ao Reino sa Águas Claras de modo que, eu não menciono essa parte: – Acha que esse tal doutor Caramujo é capaz de curar uma boneca que nasceu muda? – perguntou a menina.
– Cura, sim. Ele tem umas pílulas que curam todas as doenças, exceto quando o doente morre.
Enquanto conversavam dona Aranha ia trabalhando no vestido.
– Está pronto, disse ela por fim. Vamos prová-lo.Narizinho vestiu-se, indo ver-se ao espelho.
– Que beleza! – exclamou, batendo palmas. – Estou que nem um céu aberto!...E estava mesmo linda. Linda, tão linda no seu vestido de teia cor-de-rosa com estrelinhas de ouro, que até o espelho arregalou os olhos de espanto.
Trazendo em seguida o seu cofre de jóias, dona Aranha pôs na cabeça da menina um diadema de orvalho, e braceletes de rubis do mar nos braços, e anéis de brilhantes do mar nos dedos, e fivelas de esmeraldas do mar nos sapatos, e uma grande rosa do mar no peito. Mais linda ainda ficou Narizinho, tão mais linda que o espelho arregalou um pouco mais os olhos, começando a abrir a boca.
– Pronto? – perguntou a menina, deslumbrada.
– Espere – respondeu Dona Aranha Costureira. Faltam os pós de borboleta. E ordenou às suas seis filhinhas que trouxessem as caixas de pó de borboleta. Escolheu o mais conveniente, que era o famoso pó Furta-todas-as-Cores, de tanto brilho que parecia pó de céu-sem-nuvens misturado com pó de sol-que-acaba-de-nascer. Polvilhada com ele a menina ficou tal qual um sonho dourado! Linda, tão linda, tão mais, mais, mais linda, que o espelho foi arregalando ainda mais os olhos, mais, mais, até que – crac!... – rachou de alto a baixo em seis fragmentos!Em vez de ficar danada com aquilo, como Narizinho esperava, dona Aranha pôs-se a dançar de alegria.
– Ora graças! – exclamou num suspiro de alívio. Chegou afinal o dia da minha libertação. Quando nasci uma fada rabugenta que detestava minha pobre mãe, virou-me em aranha, condenando-me a viver de costura a vida inteira. No mesmo instante, porém, uma fada boa surgiu e me deu esse espelho com estas palavras: "No dia em que fizeres o vestido mais lindo do mundo, deixarás de ser aranha e serás o que quiseres".
– Que bom! Aplaudiu Narizinho. – E no que vai a senhora virar?
– Não sei ainda, respondeu a aranha.
– Tenho de consultar o príncipe.
– Sim, mas não vire em nada antes de fazer destes retalhos um vestido para a Emília. A pobrezinha não pode comparecer ao baile assim em fraldas de camisa como está.
– Agora é tarde, menina. O encantamento está quebrado; já não sou costureira. Mas minhas filhas poderão fazer o vestido da boneca. Não sairá grande coisa, porque não têm a minha prática, mas há de servir. Onde está a senhora Emília?Narizinho não sabia. Depois que furtou os óculos da velha e saiu correndo, ninguém mais vira a boneca.Dona Aranha voltou-se para as seis aranhinhas.
– Minhas filhas – disse ela, – o encanto está quebrado e logo estarei virada no que quiser. Vou, portanto, abandonar esta vida de costureira, deixando a vocês o meu lugar. O encantamento continua em vocês. Cada uma tem de conservar um pedaço do espelho e passar a vida costurando até que consiga um vestido que o faça rachar de admiração, como sucedeu ao espelho grande.Nisto o príncipe apareceu. Narizinho contou-lhe toda a história, inclusive a atrapalhação da aranha quanto à escolha do que havia de ser.O príncipe observou que seu reino estava com falta de sereias, sendo muito do seu agrado que ela virasse sereia.
– Nunca! – protestou Narizinho, que era de muito bons sentimentos.
– Sereias são criaturas malvadas, cujo maior prazer é afundar navios. Antes vire princesa. Houve grande discussão, sem que nada fosse decidido.
Por fim a aranha resolveu não virar em coisa nenhuma.
– Acho melhor ficar no que sou. Assim, manca duma perna, se viro princesa ficarei sendo a Princesa Manca; se viro sereia, ficarei sendo a Sereia Manca – e todos caçoarão de mim.
Faço uma pequena mudança no final: E até os dias de hoje, quando passo em frente da casa da costureira das fadas, posso vê-la na debruçada na janela a suspirar. Imagino que, pensando no que há de querer se transformar.
Deixo de lado esse final dado por Monteiro Lobato: Além do mais, como já sou aranha há mil anos estou acostumadíssima. E continuou aranha.


Minha primeira apresentação do ano na EMEI Novo Horizonte I (turma da tarde) Muitos olhinhos curiosos! Quanta expectativa!!!
Apresentando O Peixe-Escamado:
Príncipe e Rei do Reino das Águas Claras e... NARIZINHO.

A Costureira da Fadas, preparando
NARIZINHO para o baile de gala.


Tia Nastácia chama por NARIZINHO que "desperta de sua sesta" e, volta correndo à realidade. Mas o Príncipe, muito galante, dança com as convidadas.


A "muvuca" na mala. A-D-O-R-O!!!!!


Bolinhas de sabão, pra que te quero?!!!

Pra atrair muitas mãozinhas que, querem agarrar para levar na lembrança. Uma maneira gostosa de... Na inocência mais linda do mundo (uma qualidade que só as crianças teem) ETERNIZAR um momento mágico!


Momento em que NÓS, crianças grandes e pequenas, podemos num sonho gostoso, mergulhar no mundo da imaginação... "Onde está" esse mundo? Ah, pode estar no lugar que a gente escolher. Hoje escolhemos O REINO DAS ÁGUAS CLARAS!!!


Bom, pra quem preferir, também é possível "VIAJAR" através de uma LUNETA MÁGICA!!! As pessoas grandes, costumam chamar essa LUNETA de um nome esquisito... CALEIDOSCÓPIO.


Então... Fizemos "fila única" para olhar a LUNETA e... NOSSSSSSSA! Vimos tantos lugares bacanas: vimos O Sítio do Pica-Pau-Amarelo, o riacho às margens de onde a NARIZINHO dormia, vimos o besouro de bengala cutucando o nariz dela, rsrs. Vimos também, o Peixe Escamado e... Até fomos com ele e a NARIZINHO para O REINO DAS ÁGUAS CLARAS!!!



Aqui, a turma da manhã... Não foi "igual" apesar de ter sido a mesma história. Cada olhar é diferente! Cada um tem uma expectativa... Mas TODOS ADORAM!!!


Se divertem...

Sorriem...
Até parecem crianças!!!

Aqui, apresentando o livro: REINAÇÕES DE NARIZINHO...
Quem gostou da história???
Euuu... Um menino confidenciou à professora: "Enquanto ELA contava a história, eu fiquei tão feliz que o meu coração ficou batendo"

4 de abr de 2010

Praça VICTOR CIVITA

Praça VICTOR CIVITA...
MÁRCIO, o contador de histórias... Integrante do gupo da KIARA TERRA.
Apresentando o livro.

Ahhh, eu também A-D-O-R-OOOO "fuçar" na mala dos contadores.


O salão estava fechado mas, eu "grudava" a minha irmã NOEMIA no vidro (para evitar o reflexo) e, rsrs, clicava as fotos. Brinquedos maneiros feitos de sucata!!!


Um instrumento musical, feito de "chaves"